quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Insetos


"...as relações existentes entre o homem e Deus são de dependência, que nos submete a um Ser perfeito e criador de todas as coisas, a um senhor soberano que apenas a si reservou o direito de ser igualmente legislador e juiz; apenas ele pode ser ao mesmo tempo uma e outra coisa.
Se ele estabeleceu castigos eternos para o que violou as suas leis, qual o inseto bastante corajoso para ousar vir em socorro de sua justiça divina, para pretender vingar o ser que se basta a si mesmo, que os delitos não podem entristecer, que as punições não podem contentar e que é o único na natureza que age de modo constante?"
(Cesare Beccaria - Dos delitos e das penas)



Mas, se a nossa injustiça traz a lume a justiça de Deus, que diremos? Porventura, será Deus injusto por aplicar a sua ira? (Falo como homem)
Certo que não. Do contrário, como julgará Deus o mundo? (Romanos 3:5-6)

...pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus. Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; mas, no tempo presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser ele mesmo justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. (Romanos 3:23-26)

Nenhum comentário: