segunda-feira, 27 de junho de 2011

Tudo o que for puro



Ele sai de casa e a caminho do trabalho vê placas, sinais, faixas, propagandas, informações. Liga o rádio e ouve notícias, dados, músicas, mensagens. No trabalho, convive com relatórios e planilhas o dia todo. Conversa com os amigos, ouve opiniões e idéias próprias. Volta para a casa. Liga a televisão, e um turbilhão de imagens lhe invade a cabeça. Sangue, violência, notícias, opiniões, mensagens, sensualidade, comportamentos, informações.

A percepção sensorial da realidade se arrasta à sua mente como as águas de uma tormenta se apoderam de um barco, impetuosa e repentinamente. Tudo o que se vê, e se ouve, e se conhece do mundo é excessivo, fugidio e sem controle. Há muitas mensagens sendo transmitidas a sua mente, de modo que a realidade fática liquefaz-se em jatos aleatórios contra a sua cabeça. E ainda assim esse monte indiviso constitui a comida que alimenta a sua mente e produz seus pensamentos.

Em vão se constrói um dique se ao mesmo tempo se contribui para a força das águas. De nada vale reprimir a ação e limitar o comportamento se o pensamento atua em direção contrária. O pensamento é a força que produz a ação, que movimenta os músculos e que contém os impulsos.

Por isso ele desliga a televisão a fecha os olhos. Paira num silêncio escuro que é incapaz de impedir o mover-se do pensar. Conclui que deve ser rigoroso na escolha e no controle do que irá alimentar a sua mente, pois é essa comida que será o substrato para formar seus pensamentos, e, mais tarde, suas ações.

É preciso, pois, fechar essa porta escancarada de sua alma, e colocar vigias selecionando aquilo que pode entrar. Não se pode tomar a forma do mundo, e se amoldar ao que quer que apareça na mira de seus sentidos. É preciso um processo diário de transformação, adquirir uma forma pura pela renovação da mente. É preciso expulsar as ideias, os conceitos e as mensagens que caminham livremente na vastidão da consciência para torná-la nova e purificada.

Por isso seus olhos e sentidos devem se afastar do engano, da vaidade, do erro, da impureza, do ódio, dos escândalos e da depravação. Tudo o que for verdadeiro, nobre, correto, puro, amável, de boa fama, excelente e digno de louvor, isso é o que deve preencher a sua mente e ser seu alimento diário.

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12.2)

Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. (Filipenses 4.8)






* Fique atento: o endereço desse blog mudou!

2 comentários:

Teu e Cuca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Teu e Cuca disse...

realmente temos q cuidar dos nossos pensamentos, o resto é consequência.

Abraço

Matheus